Como será o mundo no “novo-normal pós pandemia”? Ainda não temos essa resposta, mas sabemos que alguns novos hábitos vieram para ficar e, nesse contexto, as atividades e relações online ganharam ainda mais protagonismo na sociedade, com importantes rupturas e quebras de paradigmas.
Home office, aulas online e a distância de amigos e familiares aumentaram o consumo de internet, alterando as formas de contratação e uso da web durante a pandemia. O consumo cresceu entre 40% e 50%, segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), e o tráfego dos usuários intensificou-se para plataformas de conferências em vídeo, comércio virtual, sites de notícias e serviços de streaming.
Nesse novo cenário, a procura por melhores planos de internet móvel e a comodidade na contratação online tornaram-se uma necessidade imperativa da sociedade e uma oportunidade importante para as operadoras.
Em sintonia com o mercado, a TIM aposta na gratuidade do chip e no seu envio para casa do cliente, sem cobrança de frete, para quem contratar um dos seus Planos Controle pelo site da operadora www.meuplanotim.com.br, pagando por boleto ou cartão de crédito.
Nos Planos TIM Controle, o cliente tem acesso a até 8,5GB de internet, com ligações ilimitadas para qualquer operadora, além de Whatsapp, Mídias Sociais e outros Apps sem descontar da franquia. A modalidade ainda fornece acesso exclusivo à plataforma de música digital TIM Music by Deezer, à Banca Virtual e ao Globo Livros, que permitem ao consumidor a leitura de jornais, revistas e livros em bibliotecas digitais sem consumo dos dados móveis.
Se antes do isolamento social, os usuários compravam seus chips em pontos físicos e buscavam por planos que atendessem as necessidades básicas para navegação, agora optam pela compra do chip online com recebimento sem sair de casa e, estão mais atentos a diferencias de custo benefício e rapidez do pacote de internet móvel, para por exemplo, atender à uma maior jornada de trabalho em casa.
Poucos termos se tornaram mais cotidianos durante a pandemia como “home-office”. Esse novo formato de trabalho é uma tendência que muitas empresas devem aderir pós-pandemia visto que, para 74% das empresas brasileiras, a experiência do trabalho remoto teve um resultado positivo, como aponta a pesquisa da Cushman & Wakefield, divulgada pelo site da revista Exame. Contudo, o novo ambiente de trabalho requer adequações estruturais para que os colaboradores desenvolvam satisfatoriamente sua rotina de trabalho, e o acesso facilitado à internet de qualidade é ponto crucial nessa nova fase.
O mundo caminha para o entendimento dessa nova vida pós pandemia. Nossas relações e hábitos jamais serão como antes. Cabe a todos os agentes da sociedade engajamento nesse processo de adaptabilidade.

[/ vc_column_text] [/ vc_column] [/ vc_row]

[/ vc_column] [/ vc_row]

Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: